logo

Monthly Archives: February 2013

18 Feb 2013

The Silmarillion

Choosing a book from the hundreds I already read and now live in my bookshelves was uncannily easy… The Silmarillion by Jrr Tolkien was the first book to come to my mind when the challenge to select a favourite appeared. As life is not a linear voyage, with a start and a finish, The Silmarillion is a book of many journeys, many lives and many stories that provide a glimpse of the origins of the most iconic fantasy saga ever – The Lord of the Rings. It is a book that speaks of sacrifice and choices … difficult choices that we too are required to do. I read The Silmarillion over a rather troubled phase during which I sought answers, during a transition period both personally and professionally… a phase fraught with important and li-changing choices. With it I learned that the greatest power we have is free will … the absolute freedom to choose the path we want to follow. Good and Evil is only what one does with his power … with this little idea many of the answers I’d been searching for were discovered and I found my path.


O Silmarillion

Escolher um livro entre as centenas que já li e que povoam agora as minhas estantes foi estranhamente fácil…O Silmarillion de JRR Tolkien foi o primeiro livro a surgir na minha mente quando o desafio de escolher um favorito surgiu. Tal como a vida não é uma viagem linear, com um ponto de partida e um de chegada, O SIlmarillion é um livro de muitas viagens, muitas vidas e muitas histórias que permitem vislumbrar as origens de uma das sagas de fantasia mais emblemáticas de sempre – O Senhor dos Anéis. É um livro que fala de sacrifício e de escolhas… escolhas difíceis que também nós somos obrigados a fazer. O Silmarillion foi lido por mim numa fase atribulada em que buscava respostas, durante uma fase de transição tanto a nível pessoal como profissional… uma fase pejada de escolhas importantes. Com ele aprendi que o maior poder que temos, é o livre arbítrio… a absoluta liberdade de escolher o caminho que queremos seguir. Bem e Mal é apenas o que cada um faz com o seu poder… com esta pequena ideia muitas das respostas que procurava foram encontradas e descobri o meu caminho.

Joana Neto Lima – February 17, 2013

18 Feb 2013

J.R.R. Tolkien

J.R.R. Tolkien

18 Feb 2013

Joana Neto Lima – O Silmarillion (The Silmarillion) – J.R.R. Tolkien

04 Feb 2013

The Art of War

“The best way to win, little daughter, very often is simply to retreat …” This I was told in a low but firm voice, while I was crying tucked in the giant lap of my father. I do not remember the “painful" event that led me to stoically endure the tears until I was in the presence my most precious life consultant – but I know I spent a whole day feeling humiliated for not having defeated any classmate, in what today is called bullying.

"To retreat …?” I stopped crying immediately and put my face of enthusiastic curiosity. Who said that? And that fatherly look briefly aiming at the bookcase made ​me realize that there was a book out there that would explain it. I ended up retreating from the room, unable to find it in the middle of thousands of book spines. So I changed the strategy and grabbed my mother by the hand until she showed me where was that door that would satisfy my thirst.

The book was placed very high and I think I helped my mother to get on tiptoes to fetch it up there. It was after all my size: small. The book they say to be about war, but that I believe to be about life. I read it for the first time when I was 7 years old and I was crushed. I do not know how many more times I reread it since that time – but I know that there were dozens – and I always learn something.

“The supreme art of war is to subdue the enemy without fighting” Sun Tzu


A Arte da Guerra

“A melhor forma de vencer, filhota, muitas vezes é: simplesmente bater em retirada…” A frase foi-me dita com voz firme mas baixa, ao ouvido, enquanto chorava, pequenina, aninhada no gigante colo do meu pai. Não me recordo do acontecimento “doloroso” que me levou a aguentar estoicamente as lágrimas até estar na presença do meu precioso consultor de vida – mas sei que passei um dia inteiro humilhada por não ter conseguido derrotar um qualquer colega de escola, que hoje seria acusado de bullying.

“Bater em retirada…?” Parou de imediato o choro e resvalou-me pela face uma expressão de entusiasmo curioso. Quem disse isso? E aquele olhar paterno que se desviou por segundos para a estante fez-me perceber que havia por ali algum livro que me ía explicar. Acabei por bater em retirada da sala, incapaz de o encontrar no meio das milhares de lombadas. E a mudança de estratégia passou por agarrar a minha mãe por uma mão para que me indicasse onde estava aquela porta de satisfação da minha sede.

Estava alto e acho que ajudei a minha progenitora a pôr-se em bicos dos pés para o “caçar” lá de cima. Era afinal do meu tamanho. Pequenino. O livro que dizem ser sobre a Guerra, mas que eu acredito ser sobre a vida. Li-o a primeira vez aos 7 anos e fiquei esmagada. Não sei quantas vezes mais o reli desde essa altura – e sei que foram dezenas – mas aprendo sempre qualquer coisa.

“A suprema Arte da Guerra é subjugar o inimigo sem combate” Sun Tzu 

Joana Latino – January 28, 2013

04 Feb 2013

Sun Tzu

Sun Tzu

04 Feb 2013

Joana Latino – A Arte da Guerra (The Art of War) – Sun Tzu