logo

Monthly Archives: March 2013

30 Mar 2013

The Bible – The Message version
 
I have been surrounded by books for almost 30 years. I’ve published one and soon will be publishing another. I write everyday and I have a sacred relationship with words. And this book is about relationship, not religion. Relationship with others, with me and with it’s main caracter: Jesus Christ.
I’m in love with the Bible which, in fact, it’s not just a book, it’s The Book. Or, if we want to go to the rooth of the word, that comes from the greek “biblion” which means “ensemble of books”, The Bible is an entire library inside a hardcover. 
For the last 50 years, The Bible has been the most sold book in the world. It was the first printed book in the West. It’s the most distributed book in the history of mankind, maybe because it tells the story of mankind. It was a book written to be read by everyone, in every era. Through The Bible I can better understand my on story. It’s like a compass that guides me and it’s definetly the most up-to-date book on my shelves.
I chose the brazilian portuguese translation of The Message, by Eugene Peterson, because it’s a contemporary translation of The Bible based on the original languages it has been written. It makes for an easy reading and understanding and tries to preserve, in a modern language, the thoughts and events that are narrated in the original book. The Bible includes law books, historic books, poetry books, profecy books, biographies and epistles (formal letters). About 40 different people wrote The Bible throughout a period of 1500 years. It’s authors have been kings, fishermen, priests, government officials, farmers, shepherds and doctors. In the mists of this diversity, there is an incredible unity, with common themes throughout the book. The Bible is, in my opinion, the most complete book one can have.
For some it may be just an object for decoration purposes, while others consider it as general knowledge. Some think of it has a book to be keep closed on the nightstand. like some kind of lucky charm; and others consider it a tabu book. But for me it’s a book that is always opened, that was read and reread, studied and should not be taken to the letter. It keeps me company daily e still surprises and makes me love it. 
The Message is my Bible of choice. It’s the book that sustains and inspires me to write, to live and to pass along that which I truly believe is the best message in the world: supreme and unconditional Love.
 

 
Bíblia – “A Mensagem”
Há quase trinta anos que vivo rodeada de livros. Publiquei um. Em breve vou editar outro. Escrevo todos os dias, e tenho com as palavras um relacionamento sagrado. É de relacionamento, e não de religião, que fala este livro. Relacionamento com os outros, comigo e com o seu protagonista: Jesus Cristo.
Sou uma apaixonada pela Bíblia que, no fundo, não é apenas um livro; é o Livro. Ou se for à génese da palavra, que deriva do grego “biblion” e que significa “conjunto de livros”, a Bíblia é uma biblioteca encadernada!
Nos últimos 50 anos, a Bíblia ocupa o primeiro lugar dos livros mais vendidos do mundo. Foi o primeiro livro impresso no Ocidente. É o livro mais distribuído da história da humanidade; talvez porque reúna a própria história da humanidade. É um livro para todas as pessoas, de todos os tempos. Através dele, consigo compreender melhor a minha própria história. É uma bússola que me guia. E é, definitivamente, o livro mais atual da minha estante. 
Escolhi a versão “A Mensagem”, tradução do texto The Message, de Eugene Peterson, porque é uma tradução contemporânea da Bíblia com base nas línguas originais, de leitura simples e de fácil entendimento, e que procura preservar – numa linguagem atual, do dia-a-dia – os seus acontecimentos e ideias. A Bíblia inclui livros de lei, livros históricos, livros de poesia, livros de profecia, biografias e epístolas (cartas formais). Cerca de 40 autores diferentes escreveram a Bíblia ao longo de 1500 anos. Os autores foram reis, pescadores, sacerdotes, oficiais do governo, fazendeiros, pastores e médicos. No meio de toda esta diversidade surge uma unidade incrível, com temas em comum ao longo de todo o livro. A Bíblia, na minha opinião, é o livro mais completo que alguém pode ter.
Para uns, não passa de um mero objeto de decoração. Para outros, é pura cultura geral. Para alguns é um livro de mesa de cabeceira, sempre fechado, que está lá como uma espécie de amuleto. E para muitos é, ainda, um livro tabu. Mas para mim é um livro continuamente aberto, que foi lido e relido, estudado, e que está longe de se encerrar na sua perceção literal. Acompanha-me diariamente e continua a surpreender-me e a apaixonar-me.
“A Mensagem” é, hoje, a minha bíblia de eleição. Este é o livro que me edifica e inspira; a escrever, a viver e a transmitir aquela que acredito ser a melhor mensagem do mundo: o Amor supremo e incondicional.
Mafalda Ribeiro – March 30, 2013
30 Mar 2013
30 Mar 2013

Mafalda Ribeiro – Bíblia – “A Mensagem” (The Bible – The Message version)

29 Mar 2013

Poetry

I don’t know exactly how to choose something above one other and the task is much harder when it comes to books. The criteria I took to choose this book was the return.

Luiza Neto Jorge Poetry was always with me between 1998 and 2008, literally and not only literarily. I still return to this book often, because Luiza’s poems echo loudly in my ears, frequently by reality involuntary suggestion. A building, a car or a body ache can bring me to a poem again. I imagine Luiza’s pen as a knife. She would cut raw reality and placed it into a text and with words considered inappropriate and with expressions considered harsh she would construct the most difficult poems and verses to enclosure in a single way that I have ever read. At the same time they are clean poems. I never understand completely these poems’ meanings, they are like magical formulas that disturb my senses and make my heart go faster, literally and not only literarily.


 Poesia

Não sei exatamente como se mede a preferência por uma coisa, muito menos por um livro. Usei o critério regresso para escolher o livro Poesia de Luiza Neto Jorge, que esteve sempre comigo entre 1998 e 2008. Esteve mesmo, literalmente não apenas literariamente.

A ele regresso muitas vezes, porque os poemas de Luiza ressoam alto nos meus ouvidos, muitas vezes por sugestão involuntária da realidade. Uma casa ou um carro ou uma dor no corpo fazem-me recordar um poema. Imagino que era uma espécie de faca a caneta com que Luiza Neto Jorge escrevia. Cortava a realidade crua e colocava-a num texto e com palavras tidas como feias e expressões tidas como rudes construía os poemas e às vezes apenas versos mais difíceis de fechar em sentidos únicos do que qualquer outro que eu já tenha lido. E ao mesmo tempo, poemas limpos. São poemas que apesar do regresso ainda não entendo inteiramente e são textos mágicos que me perturbam os sentidos e me põe o coração a bater mais depressa, literalmente e não apenas literariamente.

Carla Macedo – March 1, 2013

29 Mar 2013

Luiza Neto Jorge

Luiza Neto Jorge

29 Mar 2013

Carla Macedo – Poesia – Luiza Neto Jorge

12 Mar 2013

Blindness

I don’t know how old I was when I first read “Blindness”. Twenty years old, maybe; maybe less. I know this book was like a stab. It hurt me, it made me think, it opened my eyes to the real human dimension. It made me realize what people are capable of in the toughest times. It showed me the power of the survival instinct. And it taught me about evilness.

This is why this is me favorite book ever. Because, even though it’s not an easy book to read, it’s a book that stirs me inside, that distresses me, that is going to question me touches me, it makes me wonder. This was the book that made Saramago sit comfortably in the throne of my favorite writer. A man that writes such a book deserves nothing but eternal recognition.


Ensaio Sobre a Cegueira

Não sei que idade tinha quando li “Ensaio Sobre a Cegueira”. Vinte anos, talvez; talvez menos. Sei que o livro foi como uma facada. Magoou-me, fez-me pensar, abriu-me os olhos para a verdadeira dimensão humana. Fez-me perceber aquilo de que as pessoas são capazes em situações extremas. Mostrou-me o poder do instinto de sobrevivência. E ensinou-me acerca da maldade.

É por isso que este é o meu livro de sempre. Porque, não sendo um livro fácil, é um livro que me mexe cá dentro, que me angustia, que me faz questionar. Foi com este livro que Saramago se instalou confortavelmente no meu trono de escritor preferido. Um homem que escreve um livro como este só pode mesmo merecer o maior dos reconhecimentos.

Lénia Rufino – March 4, 2013

12 Mar 2013

José Saramago

José Saramago

12 Mar 2013

Lénia Rufino – Ensaio sobre a Cegueira (Blindness) – José Saramago