Tag Archives: Sines

FMM2009 – O balanço III

FMM2009 - Lee ‘Scratch’ Perry

I never take an assignment for granted, and try my best to make the best photos that i possibly can, but sometimes, there are hurdles that i find it hard to overcame. This year there were three concerts that really put me to the test.
The First one was Lee Perry. He was the top name for this year festival and was closing the Castle. He went on and after a some minutes i knew it was going to be a problem.
He had a cap that obscured his face, and kept the microphone in front of it all the time. I thought “damn, how i’m i supposed to get a picture where we can actually see his face ???
I spend almost the entire concert trying to get something more than an cap obscured face, because i knew that the media would want a photo of him the next day. I managed to get some decent photos of him, but it was a not an enjoyable experience.

Nunca encaro de uma forma ligeira cada reportagem que faço, dou sempre o meu melhor por forma a conseguir fazer as melhores fotografias possíveis, mas por vezes há obstáculos difíceis de ultrapassar. No festival deste ano, senti muitas dificuldades em três concertos.
O primeiro foi o de Lee Perry. Era o nome principal do cartaz deste ano na noite de encerramento do Castelo, ao fim de alguns minutos de concerto soube que ia ter um grande problema. Na sua fatiota bastante exótica, o chapéu tapava-lhe a cara, claro que o facto de ter sempre o microfone é frente da boca também não ajudava muito. O meu pensamento nessa altura foi: “Como é que vou tirar uma fotografia em que se veja claramente a cara dele ???“.
Passei quase todo o concerto a tentar tirar-lhe uma fotografia que lhe mostrasse os olhos e a cara, já que sabia que ia ser uma imagem que os media iriam querer no dia seguinte. Acabei por conseguir algumas fotografias razoáveis, mas suei bastante para o conseguir!

FMM2009- James Blood Ulmer

James Blood Ulmer was a another case of “hiding behind those dreadful microphone and music stands”. He was alone on stage, so there where many choices of environmental portraits, but it was near impossible to get a clear shot of him with the guitar or just the guitar. I made some interesting ones, but wished he was there without all that stuff in front of him.

O concerto de James Blood Ulmer foi mais um caso de “stands de pautas e microfones à frente do assunto”. Estava sozinho no palco, pelo que foi relativamente fácil conseguir alguns retratos ambientais, mas faltavam imagens de corpo inteiro dele e da guitarra. Com tudo o que ele tinha à frente, isso era práticamente impossível dos ângulos onde me conseguia colocar. Fiz algumas fotos interessantes, mas gostava que todos aqueles adereços não estivessem ali.

FMM2009 - Orquesta Típica Fernández Fierro

Don’t you love a good strong blinding back lightning ? Complete with our camera sensors favorite blue and red lights ?
Orquestra Típica Fernández Fierro was the most daring concert i photographed in this year FMM, the lights were almost all from the back, very strong and changing in seconds. I’m sure the audience was thrilled with the show, but for me it was a concert that i was constantly trying to get mote than silhouettes of the musicians! This was the only concert that i really don’t remember the music so busy i was during the whole concert.

Next on this series: The ones i enjoyed the most.

Ah, as maravilhas dos contra luzes brutais permanentes, acompanhados por banhos de luzes azuis e vermelhas daquele tipo que os sensores das cameras adoram! A Orquestra Típica Fernández Fierro, foi o concerto que me fez suar mais este ano, Os contra luzes muito intensos e intermitentes não dando quase tempo para enquadrar e obter algo mais do que uma silhueta, foram uma constante durante todo o concerto. Embora tenha a certeza que para o público foi um concerto muito motivador, não em lembro de uma única música, tão ocupado que estava na tarefa de conseguir fotografias decentes!

A seguir nesta série: Os concertos em que mais me diverti.

FMM2009 – O balanço II

Castelo de Sines

O backstage do castelo, momentos antes do concerto de James Blood Ulmer

Durante o festival, o mais difícil é conseguir disponibilidade mental para conseguir fotografar “ao lado” sem preocupações de actualidade e relevância para o trabalho de cobertura exaustiva.
Muito poucos foram os momentos em que consegui esse distanciamento mental que me permitisse fazer imagens menos óbvias e que mesmo assim me agradassem.
O que está aqui em cima foi um desses momentos, mesmo antes de um dos concertos da última noite começar, um pequeno momento de calma. Não que fosse necessário, mas é sempre importante fazer imagens “ao lado” só porque sabe bem.

Nesta edição mais uma vez não trabalhei sozinho a partir do nada, para me apoiar (e aos outros jornalistas de serviço no FMM) esteve a equipa do SIDI da CM Sines, que não poupou esforços para termos as condições necessárias para o trabalho, para eles mais uma vez o meu abraço!
Não posso igualmente deixar de destacar a minha companheira de armas fotográficas, a Sofia Costa, fotógrafa da CMS. Juntos somos a equipa que faz a reportagem oficial de todas as actividades programadas, não poupamos esforços para fazer o melhor trabalho possível, e só temos pena de não sobrar quase tempo nenhum para aproveitar o ambiente.

Sofia Costa junto à foto que tirou na actuação de A Naifa no FMM2008

Sofia Costa junto à foto que tirou na actuação de A Naifa no FMM2008

During the festival, i find it very difficult to stop thinking about the “right photos” or the “defining moments” and manage to get in the right mood to make a different kind of photograph. I only managed to step in that mood briefly on 2 occasions, and one of the photos is here, made before the first concert of the last night of the festival. It was not necessary to make that photo, but it just felt good, and we need that feeling.

I also like to send a big hug to my “sister in arms” Sofia Costa, photographer of CM Sines, together we are the team that spear no effort to document every activity related to the festival.