logo

This book is about a very eccentric friendship and two very different points of view. The author / narrator, concerned about his life in the desert without water or food, and a child who comes from another planet. The Little Prince explains why he made his lonely voyage, feeling betrayed by a rose that had been his friend but in the meantime, in his mind, had lied to him. On his voyage the Little Prince meets the human being and the world of adults. He also encounters several characters and is very sad because he does not understand the way adults think, always focused on fame, power, and in admiration and longing for material goods. The two become friends and the pilot, who had stopped in the desert because of a malfunction, starts seeing the world through the eyes of the Little Prince. Come the day of departure and the Little Prince disappears because he was bitten by a snake. The pilot thinks the child returned to his asteroid and despite being sad and thinking about him often, he gets comfort and friendship from the stars.

I love this book because it reminds me of how everything is simpler than it appears, reminds me that we humans have lost sight of the most beautiful things in life by focusing on what society thinks it is best. Times change, needs change but in fact we are all children and we must not forget that the pursuit of happiness is being true to ourselves.


Este livro é sobre uma amizade muito excêntrica e sobre dois pontos de vistas muito diferentes. A do autor/narrador, preocupado com a sua vida, sem água e comida no deserto, e a de uma criança que vem de outro planeta. O Principezinho explica o porquê da sua viagem de solidão, sentindo-se traído por uma rosa que tinha sido sua amiga mas que entretanto, na cabeça dele, lhe tinha mentido. Nesta viagem de solidão o Principezinho encontra o ser humano e o mundo dos adultos. Ele também encontra várias personagens e fica muito triste porque não entende a maneira de pensar dos adultos, concentrados na fama, no poder, na admiração e na sede de bens materiais. Os dois tornam-se amigos e o piloto, que tinha parado no deserto por causa de uma avaria, começa a ver o mundo pelo olhar do Principezinho. Chega o dia da partida e o Principezinho desaparece porque foi mordido por uma serpente. O piloto pensa que a criança voltou ao seu asteroide e apesar de ficar triste e pensar muitas vezes nele, consegue ver o conforto e a amizade das estrelas.

Adoro este livro, porque lembra me de como tudo é mais simples do que aparece, lembra-me que nós humanos perdemos de vista as coisas mais bonitas da vida concentrando-nos no que a sociedade acha melhor. Mudam os tempos, mudam as necessidades mas de facto todos nós somos crianças e não nos podemos esquecer de que a procura da felicidade é sermos fieis a nós próprios.

Manuela Ciaccio – June 19, 2012

Leave a reply