logo

As Farpas

Choosing only one book was for me the difficult choice of one of the works from my favorite author, Eça de Queiroz. I read with just 12 years old the Mistério da Estrada de Sintra, and it was was at that time the door opened to devour all his other works, including the classic Os Maias which was required reading in the Portuguese program of high school and for me it was a pleasure occasion to re-read it. In all the novels we find, even lightly, the caricature of society, politics and customs, and a lively criticism embodied by his characters. But it is with As Farpas that Eça de Queiroz in conjunction with Ramalho Ortigão, demonstrates his power of incisive and straight criticism,  and the eternal sarcasm that characterizes him so well and with which I identify completely. This book is ever so modern and contemporary, and despite Eça not being an historian, it chronicles the essence of Portuguese society.


As Farpas

A escolha de um só livro foi para mim a escolha, díficil, de uma das obras do meu autor favorito, Eça de Queiroz. Li com apenas 12 anos o Mistério da Estrada de Sintra, foi naquela altura a porta que se abriu para devorar todas as outras obras, passando pelo clássico “Os Maias” que era “obrigatório” no programa de Português e que para mim foi um prazer relê-lo. Em todos os romances ainda que de forma leve encontramos a caricatura da sociedade, da política, dos costumes e a crítica viva encarnada pelas suas personagens. Mas é com “As Farpas” que Eça de Queiroz em conjunto com Ramalho Ortigão demonstra o seu poder de crítica incisiva, directa sem nomeações, e o eterno sarcasmo que tão bem o caracteriza e com o qual me identifico profundamente. É um livro sempre actual, e apesar de não ser um historiador, as suas crónicas pintam a essência da sociedade portuguesa.

Teresa Sousa – July 31, 2012

Leave a reply